Imigrar após os 40 anos através dos estudos

Fonte: https://www.canadaagora.com/andreazotelli/imigrar-apos-os-40-anos.html


Imigrar após os 40 anos através dos estudos

 Primeiramente, esclareço aqui que este post trata basicamente da imigração através do estudo. Isso porque vir para o Canadá estudar tornou-se uma opção muito comum entre aqueles que não conseguem pontuação suficiente para passar pela peneira do Express Entry.
Aí então surgem as perguntas: Será que dá certo optar por este caminho, quando já se tem mais do que 35, 40 anos? Será que encontrarei trabalho? Será que serei discriminado no College? Ou ainda: será que terei meu visto aprovado para voltar a estudar, sendo já um profissional com uma extensa bagagem profissional?
Estas dúvidas são recorrentes e muitos vêm me perguntar justamente porque estou aqui estudando, “apesar” dos meus 43 anos. (Bem “entre aspas” estes “apesar” aí…). Assim, resolvi compartilhar com vocês um pouco do que observei sobre isso aqui.
 Voltar ao College depois muitos anos trabalhando
No Brasil, não é muito comum encontrarmos profissionais graduados fazendo um novo curso superior. O mais comum é que quem já se formou, volte a estudar para fazer uma pós-graduação. Aqui no Canadá você também vai encontrar pessoas com formação superior fazendo pós-graduação. No entanto, é bastante comum encontrar profissionais formados, muitas vezes até com pós-graduação, que decidem voltar para o College, para obter outro diploma. A isto dá-se o nome de retraining, que poderia ser traduzido como “reciclagem”.
Há casos em que o profissional volta a estudar para obter um diploma complementar à sua área de atuação. Há outros em que o profissional resolve mudar de área. Em todos estes casos, voltar para o College é perfeitamente normal. Eu diria até que isto é muito valorizado! As pessoas aqui me parabenizam por ter voltado a estudar depois de tantos anos. Eles ficam sempre muito bem impressionados com isso. Eu percebo que nosso esforço e dedicação aos estudos depois de tanto tempo fazem com que sintam muita admiração por nós, mature students. As professoras das escolas dos meus filhos, inclusive, elogiam quando digo que estou estudando. Dizem que este é um excelente exemplo para meus filhos. O mesmo comentário já ouvi da coordenadora do meu curso, que ainda complementou que crianças cujos pais estudam apresentam melhor desempenho na escola por terem o exemplo dos pais em casa.
Fora isso, muitos filhos sentem orgulho dos seus pais-estudantes. As crianças gostam de contar para os amiguinhos e professores que a mãe (ou pai) estuda no College. E quando a gente tira notas boas então? Eles sentem maior orgulho ainda! 🙂
 Há discriminação em sala de aula?
Mesmo sendo comum que as pessoas voltem ao College depois de um longo período, é claro que estes casos não são a maioria. Em sala de aula, a maior parte dos alunos é formada por jovens na faixa dos 20 anos. Se isso será motivo para alguma dificuldade de entrosamento na turma é algo que depende da sua personalidade, da sua capacidade de adaptação. O local onde você irá estudar também será um fator preponderante. Aqui em Toronto, devido ao forte multiculturalismo da cidade, eu não tive dificuldade. Na minha turma, na verdade, há alguns brasileiros. Mas há também latino-americanos, chineses, coreanos, africanos, europeus, …. e canadenses! Ou seja: o leque de opções para se fazer amizade é imenso! Então, caso você encontre dificuldade em fazer amizade em algum grupo, certamente haverá outras alternativas para você.
Já ouvi relatos de pessoas que foram para Colleges onde predominam estudantes de uma etnia específica e isso dificultou um pouco o entrosamento em sala. No entanto, estas mesmas pessoas relataram que conseguiram se entrosar, depois de um curto período. Claro: jeito e paciência são fundamentais para aprender a lidar com quem vem de uma cultura tão diferente da sua. Tenha em mente que sua postura diante destas situações faz toda a diferença.
Isso tudo posto, acho que dá para ver que não é nenhum problema você voltar para o College se tiver 40 anos ou mais. Não se preocupe, te garanto que você não será um ET em sala de aula! Pode ser que você seja o único mais velho, pode ser que não. Mas te garanto que você será tratado com respeito em qualquer uma das opções e poderá fazer ótimos amigos!
 Discriminação no mercado de trabalho
Como ainda estou estudando, esta é uma etapa pela qual ainda não passei efetivamente. Já fiz alguns contatos e pude ter alguma percepção a respeito disso. No entanto, estou apenas começando a busca por trabalho. Por isso, falarei aqui baseada em informações que coletei com amigos ou nos grupos dos quais participo.
Se você perguntar, de forma geral, se existe discriminação por idade no mercado de trabalho canadense, a maioria das pessoas vai dizer que sim. No entanto, se fizer a mesma pergunta, colocando o Brasil como parâmetro de comparação, aí a maioria irá te dizer que a discriminação que por existe aqui é muito menor do que a de lá.
Primeira coisa: sua idade não deve ser mencionada no seu Résumé. Com isso, se a empresa gostar do seu perfil, vai te contatar sem saber quantos anos você tem. Da mesma forma, durante a entrevista, perguntas sobre a idade não são permitidas pelas leis canadenses. Isso porque este tipo de pergunta pode configurar discriminação – e isso é crime. Claro que discriminação é crime aqui, no Brasil e em muitos outros lugares do mundo. Mas aqui isso é levado muito a sério e a empresa que for acusada de discriminação em um processo de recrutamento poderá ter sérios problemas.
E aí você pode dizer: “Ok, eles não perguntarão minha idade, mas irão olhar na minha cara e saber que não tenho mais 20 anos!” Claro, isso é fato. No entanto, durante a sua entrevista, você terá a oportunidade de mostrar seu conhecimento e sua experiência, que têm muito mais valor do que a data de nascimento estampada na sua identidade.
Por isso, eu não acredito que a discriminação seja um fator limitante na hora de conseguir um trabalho. Não falar bem o idioma é algo que limita muito mais.
 É possível obter o PR mesmo tendo mais de 40 anos?
Express Entry é o sistema através do qual o governo canadense faz um ranking dos candidatos à imigração. Nele são levados em conta 6 fatores para a seleção dos candidatos:  idioma, educação, experiência profissional, idade, emprego no Canadá e adaptabilidade. Os candidatos recebem pontos em cada um destes critérios, para que seja posicionado no ranking, de acordo com a nota total obtida.
No caso da idade, a pontuação máxima vai para aqueles que têm entre 18 e 35 anos. A partir dos 35, a pontuação por idade vai caindo, até chegar a zero, para pessoas com 47 anos ou mais. Por conta disso, muitos ficam preocupados por não pontuarem tão bem neste quesito, após os 40 anos. Gente, a idade é só um dos fatores levados em consideração. O fato de ter mais de 40 anos não tira ninguém do jogo! Você pode melhorar seu idioma – e isso sim é um fator extremamente relevante e de grande impacto na sua pontuação. Atingir CLB 9 no inglês, por exemplo, garante pontos extras no quesito “adaptabilidade”.
Um diploma obtido no Canadá também lhe dará pontos extras. Você pode, depois de estudar aqui, obter o visto de trabalho e com isso somar pontos em função da sua “experiência canadense”.
Fora isso, há os programas provinciais de imigração que contemplam pessoas de até 55 anos. Há, também, alternativas, para aqueles que passaram dos 55. O que eu diria é: estude, analise, veja o que é mais adequado ao seu perfil. Trace seu plano e parta para a ação!
 Investindo para tornar seu perfil mais adequado à imigração
Considerando-se este cenário do imigrante com idade em torno dos 40 anos, uma boa estratégia é vir para o Canadá estudar. O governo canadense já falou inúmeras vezes que o estudante internacional é o candidato ideal para a imigração. Estudar é um processo que permite à pessoa se adaptar à cultura local e melhorar sua fluência no idioma, promovendo uma transição gradativa até a residência permanente. E para que o país cresça de forma sustentável, é importante que as pessoas estejam trabalhando e integradas à sociedade.
Por isso, se você vier para o Canadá estudar, isto contará muito positivamente no seu perfil como candidato à imigração. Aqui, no entanto, vale uma observação: vir estudar não significa imigrar. Vir estudar é apenas uma forma de melhorar seu perfil para uma futura possível imigração. Quem deseja vir estudar deve deixar claro na solicitação de visto ao governo canadense que entende que está aplicando para um visto de residência temporária. Como tal, deve demonstrar que conhece e respeita as regras da residência temporária e que pretende voltar ao seu país de origem quando concluir seus estudos. Vir para o Canadá estudar é um investimento que a pessoa faz para se encaixar em uma das inúmeras formas disponíveis de imigração. Se esta pessoa conseguirá receber o ITA é algo que só o tempo pode dizer.
 Está pronto para o desafio?
Vale lembrar: qualquer processo de imigração envolve riscos. Mesmo nos casos em que a pessoa vem com PR e emprego arranjado, ainda assim há a possibilidade de não adaptação ao novo país. Neste sentido, vir para estudar é uma ótima maneira de ver se imigração é para você. Você vai poder conhecer o país, os costumes, os lugares e o clima, antes de aplicar para a residência permanente. Então, independente da sua idade, eu entendo que vir estudar vai ser muito benéfico. E se, depois de fazer seu curso aqui, você decidir que quer mesmo é morar no Brasil, a fluência no inglês, o diploma canadense e a experiência internacional serão excelentes para a sua carreira profissional.
Eu digo que vir para o Canadá estudar é um jogo de ganha-ganha. Não existe perder quando se faz uma escolha como essa. Não existe “fracasso”, não existe “não deu certo”. Ter esta experiência aqui é uma oportunidade como poucas. É um enriquecimento imenso tanto pessoal como profissionalmente. Você vai crescer, amadurecer. Você vai se admirar de quanto você é capaz de fazer. Você vai ver que pode muito mais do que imaginava.
Então, não deixe que ninguém jogue um balde de água fria nos seus planos de estudar fora. Venha. Se alguém lhe desencorajar, se alguém disser que não vai dar certo, saiba que muitos vieram e conseguiram. Foque naquilo que você deseja, trace seu plano e coloque em ação. Você só terá a ganhar. Depois, te garanto: você agradecerá a si mesmo por ter a coragem de ousar e por ter sabiamente ignorado aqueles que queriam lhe fazer desistir dos seus planos.

Comentários

Rodolfo Saldanha disse…
Parabéns pelo texto. Objetivo e esclarecedor. Estou preparando minha application para iniciar o mestrado no Canada no ano que vem, mesmo sem pensar em imigrar. Gostaria de confirmar se a escola pública para as crianças são, realmente, de graça como aqui no Brasil. Há países como Austrália, p. ex., em que se paga para estudarem nas escolas públicas. Saberia me dizer algo a respeito. Abs,
Wellington Gomes disse…
Indiretamente sim... na verdade a escola é paga no "IPTU" daqui, mas paga este imposto quem tem imóvel, quem aluga não paga. Pode ser que escola cobre uns valores pequenos para despesas com os alunos.
abraço

Postagens mais visitadas deste blog

Imigração - Propaganda

50 profissões que o Canadá deseja

Desafio da Coruja Vermelha