Quebec... Terra de Sonhos... ou de decepções?

Um amigo morador do Quebec (Carlos Santos - Comunidade Brasil-Québec - CBQ - TI) postou este texto abaixo e achei bem interessante, para abrir nossa mente em relação à imigração. Aproveiro e abro aqui uma oportunidade de outras pessoas deixarem seus relatos reais para experiência de outros. Mas já adianto que não publicarei relatos (como vimos por aí) de participantes de campanhas anti-Canadá e anti-Governo brasileiro. 



Não vou publicar o nome das pessoas que quiserem deixar o relato. 

O ideal seria analisar tudo sem a emoção de um dia poder sair do Brasil para o exterior, mas isso é quase uma utopia, principalmente para os que já estão no processo. 

------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Relato 1:

Sinto pela falta de tempo, mas hoje eu me disse que nao poderia continuar assim, afinal sempre arrumamos tempo quando queremos, nao é mesmo?


Assim, deixei a familia por alguns minutos neste final de semana para dividir aqui com vocês uma reflexao que muitos nao se fazem, pois estao loucos para sair do Brasil, que nem se questionam os reais motivos para vir para o Québec!



No final, como muitos também estao preocupados em obter o visto, nem se preocupam muito com o francês, afinal aqui tem a francisacao e ainda pago pelo governo (que coisa boa, nao é mesmo?) e depois de aqui chegar comecam o calvario de nao conseguir emprego, de ver o seu dinheiro ir pelo ralo com tudo o que precisam gastar para colocar a familia num apto digno, ter o minimo do conforto necessario, que alias ja tinham no Brasil, etc,,,,



Muita coisa é preciso ser dita para que os colegas que ainda estao por vir, que alias so aumenta aqui no grupo saibam e que se informem, assim o numero de felizes sera maior do que os que aqui sao infelizes!



Sempre digo que se informar é algo que tem dois lados! e que as vezes a ignorancia é uma bencao!



Mas neste caso eu prefiro ver o lado bom da informacao e dar aos que visam se estabelecer aqui um pouco do que aprendi e espero que os demais colegas contribuam, como alias sempre o fizeram!



Chegar aqui é um sonho..... nao que aqui seja um paraiso, longe disso. Mas nao fujo de bala perdida como fazia no Rio de Janeiro, nao entro no meu carro (que ai seria apenas os ricos que possuem.... nao digo qual é pois nao é o caso) nao me preocupo se alguém esta me espreitando para tentar roubá-lo, nem querer me sequestrar para poder tirar dinheiro nos caixas 24h, e por ai vai a longa estoria de violencia que muitos acabam por se habituar por ai. Meu irmao que o diga! ele que mora na Ilha acha banal, tudo isso que escrevi aqui, Fazer o que? ele nao pode mudar...



Bom, paraiso nao é, mas tranquilidade existe. Aqui vc pode sonhar em ser proprietario de sua casa!



Sim, morar numa casa sem cercas, muros ou cachorros ferozes que temos de ter para nous proteger, até que ponto?



Posso dizer que este eu ja conquistei! espero que os pensamentos positivos sejam espalhados à muitos que o desejam também para si mesmo!



Terra de planos, aqui planejo o que posso ter ou quero realizar daqui ha dois meses, no ano que vem ou daqui a dois anos!!



Bom, nem tudo é maravilha, claro que nao! 



É preciso aceitar que vc fluente em português, professor, formador de mestres e doutores precisa se policiar e pensar para nao chamar carro aqui (voiture) de masculino (uma carro, que horror! e aqui em frances seria algo como dizer "le voiture"!!!, dureza nao?



E ainda me policio como muitas outras palavras que aqui possuen sexos invertidos!



Bem, fora isso, é preciso aceitar que vc tem que recomecar sua vida profissional. Aceitar um salario menor, ter de aceitar um emprego aquem das sua potencialidades, ter de negociar muito para mostrar que seu valor como profissional nao corresponde ao salario inicialmente aceito (afinal desempregado nao discute muito o valor inicial, nao é mesmo?).



Bom, paro por aqui e deixo os demais colegas, o espaco para suas proprias experiências, para os que assim sentirem confortaveis!



O objetivo é mostrar um pouco do que vc mesmo sente ou sentiu hoje, alguns anos depois da chegada.



Para informar, estou indo para o meu quinto ano de Québec!



Abracos



O Senhor abre os olhos aos cegos, o Senhor levanta os abatidos, o Senhor ama os justos - Salmos 146:8

Comentários

destinogelado disse…
Olá Família,

Gostei mutio da reflexão, as vezes precisamos de uma boa dose de realidade, não que eu pense que por ai tudo são flores, mas a tendência é sim pensar que tudo será melhor (e mais colorido), mas tenho tentado focar no francês, pois sei que minha profissão precisa ser aprovada na Ordem e pra isso o francês é mais que fundamental... é claro que as vezes caimos sim na tentação de pensar: " ah, se eu não aprender muito bem agora eu aprendo lá..." mas depois deste post eu vou me focar muito mais no "aqui" pra que o "ai" seja o menos penoso possível.
Obrigada pela contribuição
Luciana
Tiago Mota disse…
Relator como esse são importantíssimos para todos que pensam e que já estão em processo de emigração, não importa para qual país seja. É uma pena, realmente, que ele seja tão curto e resumido. Já estou ativamente no meu processo a quase um ano. Ativamente porque, antes de poder colocar em ação todas as engrenagens necessárias, já tinha a vontade e já recolhia as informações. Foi quase uma década entre o começo da pesquisa e a entrada efetiva no processo. Busquei todas as informações que podia - e ainda busco - estou me esforçando ao máximo para aprender a língua o melhor possível, mesmo sabendo que, ainda assim, ao chegar lá ainda terei que penar um bocado para me comunicar com desenvoltura, para conseguir um emprego um ou dois passos abaixo do que tenho aqui hoje. Cheguei mesmo a visitar o Canadá - aproveitando para um curso intensivo de francês inclusive. Mesmo tendo feito tudo isso, mesmo avaliando praticamente todo mês o mercado de trabalho na minha área, conversando com amigos que já estão lá, lendo todos os blogs, ainda assim sei que no momento em que colocar os pés no Quebec vou estar em uma aventura, que precisará de esforço e, sim, de uma boa poupança para que dê frutos lá longe. Fico preocupado com pessoas que estão no mesmo processo mas sem nenhuma preocupação com o que vão encontrar lá - as pessoas que acham que estão indo para o paraíso. Não checam o mercado, não avaliam prioridades, não fazem poupança, não estão dispostos a abrir mão de algumas realidades e confortos que temos hoje no Brasil e que demoraremos a reconquistar no Canadá. São as pessoas mais propensas a ficarem dois ou três meses e desistires, seja porque a pouca poupança acabou - e essas mesmas pessoas tendem a não resistir à compra de alguns itens que são demasiado caros no Brasil, mesmo que o dinheiro devesse ser reservado para outros fins - seja porque o emprego dos sonhos não lhe foi oferecido de bandeja como acreditava.
O caminho para uma vida melhor fora do Brasil começa enquanto ainda estamos aqui. Informação nunca é demais, e deve ser buscada à exaustão. Simplesmente juntar os documentos e esperar o visto sair não te qualifica como uma pessoa pronta para imigrar. Desejo o melhor a todos que nutrem o desejo ou que já colocaram a roda andando e logo estarão lá. Mas quero que todos saibam que a primeira ajuda virá de dentro, de você. Prepare-se. Não é pessimismo, mas é muita ingenuidade entrar em qualquer aventura sem um mínimo de preparação.
Luísa disse…
Olá. Estou amando o site. Gostaria do e-mail para contato! Estou com algumas dúvidas e queria tirá-las. Obrigada desde já.
Ah, se preferir, pode me mandar um e-mail. O meu é luisarbezerra@hotmail.com

Aguardo ansiosa um contato.
Luísa Ribeiro Bezerra.
pensologoimigro disse…
Olá! Sempre passo por aqui mas hj resolvi escrever. Achei mto útil esse post. Seria bom se mtos fossem realistas como esse trazendo esse tipo de info.
Abraço!

Postagens mais visitadas deste blog

Imigração - Propaganda

Desafio da Coruja Vermelha

Estudando Medicina no Canadá